César Luiz Leite, UWE Bristol

Cesar Leite

Estudante: César Luiz Leite
Origem: Leme, SP
Estudando: MA Wildlife Filmmaking, UWE Bristol

Por que escolheu estudar na Reino Unido?
Cursors de documentário de vida animal são raros e oferecidos em poucos países. Eu escolhi este na UWE Bristol por ter uma parceria única com a BBC Natural History Unit, a maior produtora mundial de filmes do gênero.

O que você mais gostou da escola?
Fiquei impressionado em como os professores estão preparados para te transformar num verdadeiro profissional. Eles focam muito em melhorar o seu currículo e procuram atividades para fazer fora da universidade, nas grandes empresas. Uma oportunidade única para compreender como funciona o mercado de trabalho e para te colocar em contato com os futuros empregadores.

O que você mais gosta em Bristol?
Bristol é uma cidade que não pára! 7 dias por semana, sempre com algo novo acontecendo. A cultura aqui é muito forte. Mas o melhor são as pessoas: são muito amigáveis, sorriem na rua. Aquela ideia que temos que os ingleses são “frios” está totalmente errada.

Quais as principais dificuldades em estudar no exterior?
No início era difícil entender o sotaque britânico, mas em um mês você já está totalmente acostumado. Por isso é importante chegar no país com um tempo de antecedência.
A duração do dia pode causar uma certa confusão também, principalmente quando o sol se põe as 10 da noite e seu cérebro acha que meia noite são na verdade 8. Mas é divertido ter dias longos, você não acha?

Você sentiu algum tipo de ‘choque cultural’ quando chegou?
Não muito. Eu vim para a Inglaterra querendo incorporar toda essa cultura. Jantar por volta das 6 no inverno era um pouco estranho. No geral você acaba aprendendo grandes lições para sua vida. Quando eu voltei para o Brasil e vi o lixo misturado: comida, latas e plástico foi na verdade o “choque cultural”.

Você teria alguma dica de como economizar dinheiro durante um estudo no exterior?
Algumas dicas para economizer dinheiro:
– Logo que chegar no país, o melhor é perguntar às pessoas locais. Eles têm toda a informação sobre os supermercados mais em conta, restaurantes, etc. E isso faz a diferença.
– Use seu cartão de débito Brasileiro para sacar dinheiro (eles cobram por transação), e não esses cartões “travel money”, que possuem taxas de conversão mais altas. Eu recomendo o Banco do Brasil VISA, que funciona na maioria dos caixas e eles são razoáveis no atendimento. Mas nunca o Santander, que quase nunca funciona e são péssimos pra dizer o que está havendo se o problema é em outro país.

Você teria algum conselho para dar a um estudante que deseje estudar no exterior pela primeira vez?
Quando você viaja para fora, a oportunidade é única. Então incorpore toda a cultura local e use o melhor dela para se tornar uma pessoa melhor. Esqueça um pouco as redes sociais e não passe horas conversando com os amigos do seu país de origem. Quanto mais você fala a sua própria língua, menos você se torna fluente em outra. E já que você está indo para outro país, procure amigos internacionais- não se junte a grupos de brasileiros, senão qual é o propósito da sua viagem?